Wilhelm Reich: Conheça a trajetória do criador da Caixa Orgônica

wilhelm reich

Criador da caixa orgônica, Wilhelm Reich dedicou sua vida ao estudo da medicina natural. Confira a trajetória e realizações deste importante cientista.

Stress, má alimentação e sedentarismo. O estilo de vida moderno pode trazer muitos benefícios, mas, também, traz uma redução da qualidade de vida. A consequência? Cada vez mais pessoas têm que lidar com doenças crônicas, dores e outros desconfortos.

Paradoxalmente, isso tudo faz com que a população busque terapias alternativas naturais para a preservação da saúde e a melhora do bem estar. A ideia é abrir mão de químicos e substâncias sintéticas para se voltar ao que a natureza oferece.

Apesar de a preocupação ser moderna, a questão é antiga. Há milênios, povos antigos criavam alternativas de saúde natural que são usadas até hoje, como a acupuntura.

Uma das pessoas que dedicou muito esforço a isso foi o austríaco Wilhelm Reich.

Quem foi Wilhelm Reich?

Wilhem Reich nasceu na cidade de Dobryzcynica, na Áustria (hoje parte da Polônia) em 23 de março de 1897. Ele ficou órfão muito cedo e, durante a Primeira Guerra Mundial, ingressou no exército da Áustria.

Depois do serviço militar, ele ingressa na Universidade de Viena, para cursar Medicina. Anos depois, também passa a participar da Sociedade Psicanalítica de Viena, então sob o comando de Sigmund Freud. Reich foi seu seguidor por muitos anos, mas rompeu com o psicanalista para dar início à sua própria linha de pensamento.

Apesar do trabalho com a psicanálise, o maior legado do médico austríaco foi sua pesquisa a respeito da energia vital do ser humano, especialmente quando se tratava da libido. Ele se aprofundou tanto que chegou a estudar neuropsiquiatria e publicar diversos livros sobre o assunto.

Por que Wilhelm Reich é conhecido?

Por conta do nazismo, Wilhelm Reich foi viver na Escandinávia e, mais tarde, nos últimos anos de sua vida, nos Estados Unidos. Foi lá que ele se aprofundou em seus estudos a descoberta que o tornou conhecido até hoje: o orgônio.

Ele anunciou a revelação em 1930. De acordo com Reich, ele seria responsável pela energia sexual. Hoje, entretanto, o entendimento é mais amplo: entende-se que o orgônio é a energia vital do ser humano, e que sua preservação é fundamental para a saúde e o bem estar.

Ele se aprofundou no assunto e o resultado foi a invenção do acumulador de orgônio. Aperfeiçoado, o equipamento hoje é a caixa orgônica, conhecida no mundo todo como uma excelente ferramenta para quem quer manter um estilo de vida mais saudável.

Apesar de marcante, o trabalho de Reich não foi desenvolvido sem polêmica. Se, por um lado, seus seguidores criaram uma instituição para disseminar seus ensinamentos, a Fundação Wilhelm Reich, o médico entrou na mira de instituições governamentais.

Nos Estados Unidos, agência que regulamentava a circulação de alimentos e remédios (a Food and Drug Administration – FDA) passou a persegui-lo e acusá-lo de fraude. Não é de surpreender: o estudioso afirmava que era possível viver bem sem remédios, o que seguramente contrariava os interesses da indústria farmacêutica.

Quais foram as principais contribuições de Wilhelm Reich?

Devido às suas atividades, Reich foi condenado a dois anos de prisão. Contudo, ele não chegou a deixar o cárcere: o médico sofreu um ataque cardíaco e faleceu quando estava preso, em 1957, na cidade de Lewisburg, no estado americano da Pensilvânia.

Apesar disso, suas ideias seguem vivas. A terapia Reichiana ainda é praticada pelos defensores de uma alternativa melhor, mais natural e saudável de vida, diminuindo a ocorrência de doenças e, consequentemente, o uso de medicamentos.

A base dessa técnica é a energia do corpo humano, que deve ser preservada para manter um bom estado de saúde. A caixa orgônica, uma versão melhorada de seu acumulador de orgônio, é usada até hoje, no mundo inteiro.

A Fundação Wilhelm Reich segue em atividade, disseminando os conhecimentos por ele gerados. Os livros de Reich (que podem ser baixados aqu) chegaram a ser publicados no Brasil no século XX; hoje, são encontrados com mais facilidade em sebos e para download na internet.

Ele continua sendo citado por estudiosos da medicina natural e da psiquiatria. Apesar de haver falecido há mais de meio século, continua sendo um autor muito atual. Tudo graças à preocupação cada vez maior das pessoas com o bem estar, aliada à crescente dificuldade em obtê-lo.

 

 

 

 

Seja o primeiro a avaliar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Me chame no WhatsApp