Dr. Wilhem Reich

Assista o Documentário “O Direito de Saber do Homem”, que conta a história do Dr. Wilhelm Reich e a descoberta da Caixa Orgônica.

O Dr. Wilhelm Reich (1897-1957) foi um médico, psicanalista e cientista natural austro-húngaro radicado nos Estados Unidos, que dedicou boa parte da sua vida para provar cientificamente a existência da Energia Vital ou Cósmica que ele chamou de Orgone ou Energia Orgônica – uma força fluída invisível que preenche toda Natureza e anima os seres vivos – A Fonte da Vida e da Saúde, tão propagada em diversas culturas milenares por diversos nomes como: Prana, Chi (Qi), Ki, Mana, Eter, Pneuma, Ankh, Shakti, Kundalini, Baraka, Energia Bioplasmática, Energia Ódica etc.

Embora muitos tenham estudado a energia vital, Reich estudou mais profunda, ampla e cientificamente do que a maioria. Seus inquéritos originais levaram-no para 7 disciplinas científicas distintas ao longo de sua vida.

Formação do Dr. Wilhelm Reich

Reich começou sua prática como aluno de Freud na Psiquiatria. Seus estudos das defesas somáticas (do organismo) levaram-no para o Reino da Bio-eletricidade na busca da origem do orgasmo. A partir daí ele mudou-se para o estudo da Biologia onde realizou diversos trabalhos sobre a origem do câncer e a geração espontânea da vida a nível celular, com a descoberta da energia orgônica. O trabalho de biologia levou-o para um estudo da Física, onde descobriu e desenvolveu vários dispositivos para direcionar as concentrações e fluxo fracionário. O trabalho de física levou-o naturalmente à Meteorologia, quando descobriu que essa energia poderia influenciar o clima com dispositivos maiores, foi quando criou o Cloud Buster (Rompedor de Nuvens). A partir daí seu trabalho migrou para a Astronomia com o advento da sua Teoria da Sobreposição e modelos para a Engenharia Cósmica.

Reich elaborou trabalhos e testes que viraram provas científicas contundentes sobre a existência da Energia Vital, estabeleceu suas leis e definiu as propriedades que a regem, colocando-a definitivamente a nível de ciência.

Energia Orgônica por Wilhelm Reich

Reich denominou essa energia de “Energia Orgônica” – uma alusão ao Organismo (humano), ao Orgasmo (onde há a maior manifestação desta energia nos seres vivos) – a energia que dá origem à vida, a Energia da Vida, mas também à matéria Orgânica (a que mais atrai essa energia). Para Reich essa energia é a força que gera e nutre todo o Cosmos, o macro, o micro, a energia própria e inseparável a tudo o que é vivo e ao não vivo, a Terra e à Humanidade.

Para estudar melhor a Energia Orgônica, Reich precisava de mais energia, foi então que em 1940 desenvolveu um equipamento, uma caixa, capaz de captar a energia vital da atmosfera, através de materiais não metálicos, entre os principais os orgânicos e de a transferir para dentro da caixa, através de materiais metálicos, como as chapas de aço. Reich construiu então uma caixa cujas paredes alternavam matéria orgânica por fora e metálica por dentro e com isso conseguiu concentrar aproximadamente de 3 a 5 vezes mais energia do que fora da caixa. Estava criada a sua primeira Caixa Orgônica, que chamou de ORAC (Orgone Energy Accumulator – Acumulador de Energia Orgone).

Por mais de 10 anos, Wilhelm Reich fez testes e experimentos práticos com voluntários, para descobrir os efeitos da Energia Orgônica, através do uso da Caixa Orgônica, em tratamentos de diversos tipos de doenças, principalmente contra o câncer, e nesse período todo sempre foi perseguido pela FDA (U.S. Food and Drug Administration), um órgão do governo americano, correspondente a nossa ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, na intenção de encontrarem algum problema ou denúncia sobre a ineficácia ou efeito colateral prejudicial dessa terapia e a FDA, em 10 anos de caça à Reich nunca conseguiu um único depoimento se quer contra o uso da Caixa Orgônica em tratamentos médicos, só depoimentos favoráveis.

Apesar de sempre ter feito todos seus estudos e pesquisas estritamente dentro das técnicas da Ciência Ocidental, mais especificamente da Biologia e da Psicologia, Reich chegou a uma concepção sobre a concentração, circulação e distribuição da Energia Vital nos seres humanos, semelhante a chamada Energia Astral citada nas Filosofias Orientais Chinesa e Indiana, chamada por eles chi e Prana, quando nos falam dos Meridianos da Acupuntura e dos Chakras.

Segundo Reich o sistema nervoso e o sistema muscular são um só, pois a todo músculo está associado um neurônio (Sistema Neuromuscular), onde o cérebro e a rede neuronal são os responsáveis por guardar as memórias e os músculos por armazenar as emoções.

Baseado nessa premissa concluiu que qualquer trauma ou repressão enrijece os músculos e isso bloqueia ou desvia o fluxo natural da energia vital pelo corpo, e quando esse bloqueio ou desvio se torna crônico, chega a impedir os sentimentos de emoção e até de prazer. Por isso, para Reich, qualquer queda, desvio ou bloqueio da livre circulação dessa energia pelo corpo, gera doenças psicológicas e/ou físicas, podendo levar até à morte, que é a falta dessa bioenergia, e que somente com o equilíbrio e harmonia dessa energia no organismo, é que é possível se curar das doenças e ser saudável.

Caixa Orgônica de Wilhelm Reich

Uma das formas mais fáceis e práticas de conquistar essa harmonia energética é usar regularmente a Caixa Orgônica, pois ela faz basicamente duas coisas no nosso organismo:
– Aumenta a Energia Vital (recarrega as baterias)
– Permite sua livre circulação (dissolve os bloqueios)

Isso beneficia cada célula, órgão e sistema, fazendo com que nossas células voltem a ficar saudáveis e, literalmente, restabelece a saúde perdida.

Reich foi, obviamente, um pensador ousado e um homem muito inteligente, mas sua genialidade estava muito mais em suas notáveis habilidades de observador dos fatos que via acontecer sob as lentes de seus microscópios do que dominador das sete disciplinas que estudou durante toda sua carreira.

Durante um período de mais de 40 anos de pesquisas, Reich sempre se utilizou de uma mesma “linha mestra” no seu processo criativo. Sua forma de trabalho confiava no processo mesmo quando ele ainda não sabia o que era, muitas vezes isso o levou a inúmeras tentativas e observações repetidas. Ele não entrava em pânico em face de resultados aparentemente opostos ou ao contrário do que previa. Pelo contrário, ele continuava a observar os processos, relacionando-os, e tentando descobrir um princípio de funcionamento comum, pois acreditava que cada processo era sempre uma parte de um todo, de uma unificação maior e inteira da natureza.

Ele era paciente, aberto e objetivo em suas observações e exato em seus métodos de investigação. Ele não tinha nenhum modelo pronto em suas experiências e evitava a teorização, preferindo assistir e contemplar os resultados de seus experimentos afim de que eles o impressionassem, até que o processo que ele estava acompanhando lhe ficasse totalmente claro. Não tinha nenhum preconceito técnico ou científico sobre as matérias que estudava, por isso era livre para chegar a conclusões muitas vezes diferentes e completamente novas sobre o que aprendia, sem medo de ser ridicularizado pela comunidade científica – coisa que aconteceu reiteradamente durante toda sua vida e carreira –, sendo praticamente “expulso” de seis países até se radicar nos EUA (Estados Unidos da América), a terra da liberdade (da Estátua da Liberdade), onde foi perseguido, caçado e morto pelo sistema político patrocinado pela indústria médica/farmacêutica, principalmente pelos excepcionais resultados clínicos que vinha obtendo com suas terapias com a Caixa Orgônica, quando começou a curar diversas doenças e conquistar melhoras incríveis com doentes de câncer.

Pouco antes da sua morte em 1957 especula-se que Reich estava trabalhando em um dispositivo para transformar a energia orgônica em força motora sob a forma de um motor de “energia livre”, mas tais estudos e anotações nunca foram encontrados.

Reich morreu preso por charlatanismo por defender os benefícios do uso da Caixa Orgônica. Mas essa é outra história. Desde sua morte não houve mais pesquisas científicas aprovadas pelos órgãos oficiais, na busca do entendimento da cura do câncer através do uso da Caixa. Afinal, o que cura sem dar dinheiro para o “Sistema” (ou indústria da doença), nunca receberá aprovação e apoio financeiro oficial.

Assista agora o Documentário “O Direito de Saber do Homem”, que conta a história do Dr. Wilhelm Reich e a descoberta da Caixa Orgônica.

Seja o primeiro a avaliar

35-9.9732-5405